Publicado por: Lucival França | abril 25, 2009

Sobre poesia, música e literatura

Maria Bethânia, uma das entrevistadas no documentário, é mestra em musicar poemas. Na maioria dos seus álbuns, a cantora-intérprete delcama uma poesia

Maria Bethânia, uma das entrevistadas no documentário, é mestra em musicar poemas. Na maioria dos seus álbuns, a cantora-intérprete delcama uma poesia

Estreou sexta-feira no cinema da Ufba (Salas de arte) e no Espaço Unibanco de Cinema o documentário Palavra (En)cantada, de Helena Solberg. Em um país com uma forte cultura oral como o Brasil, segundo os especialistas, a música popular pode ser a grande ponte para a poesia e a literatura. O interesse em promover o debate e a reflexão sobre esse tema foi o ponto de partida do documentário cuja co-autoria e argumento têm assinatura de Márcio Debellian. O roteiro do Palavra (En)cantada tem sua narrativa construída na costura de depoimentos, performances musicais e bela trilha sonora. Adriana Calcanhotto começa e finaliza o longa.

Lenine é um dos mais inventivos artistas da MPB, brinca com a sonoridade das palavras

Lenine é um dos mais inventivos artistas da MPB, brinca com a sonoridade das palavras

A cantora e compositora lembra e cita Arnaut Daniel, considerado um dos maiores poetas de todos os tempos. O projeto conta, ainda, com artistas de peso como Maria Bethânia (declamando ‘Eros e Psique’, do poeta português Fernando Pessoa), Chico Buarque, Jorge Mautner, Tom Zé, Arnaldo Antunes, José Celso Martinez Correa, Lirinha (Cordel do Fogo Encantado) e Lenine, dentre outros. Grande parte das entrevistas foram feitas em casa e alguns deles cantaram e tocaram canções especialmente para o documentário, fato que realça a atmosfera intimista do longa-metragem. Poetas-letristas, autores de livros que se tornaram compositores, poetas que tentam usar a música para ganhar mais dinheiro, poetas do morro, tudo isso é assunto do Palavra (En)cantada.

Um dos maiores letristas/poetas brasileiros, Chico Buarque é representante da fina flor da MPB

Um dos maiores letristas/poetas brasileiros, Chico Buarque é representante da fina flor da MPB

O filme é desenhado por passagens instigantes, como a declarada rejeição de Chico Buarque ao título de poeta, e emocionantes, como as imagens captadas de Hilda Hilst pouco antes da sua morte, reclamando que os poetas não são valorizados no Brasil e contando que, para ganhar mais dinheiro, pediu para Zeca Baleiro musicar seus poemas. Palavra (En)cantada apresenta imagens raras de Dorival Caymmi, nos anos 40, cantando e tocando O Mar ao violão. Além disto, o documentário resgata um depoimento histórico de Caetano Veloso no Festival da Record, em 1967, logo após cantar Alegria, Alegria. Nele, Caetano fala de sua inspiração ao compor a música e ressalta a liberdade no uso da guitarra na música brasileira: “No Rio de Janeiro, disseram “Caetano vai usar guitarra numa música, quando chegar na Bahia vai tomar uma surra de berimbau”. O que eles não sabiam é que os baianos estão além!”, revelou à época o filho de Dona Canô.

Anúncios

Responses

  1. Olá, Lucival!

    Que bom que você voltou a publicar no blog. E a idéia está bem bacana. Gostei muito.

    Abraço.

  2. Quer saber a verdade sobre o Lucival, clica aquí.
    http://blogdokuelho.com.br/noticia/3770/conheca-lucival-o-baiano-no-bbb11-confira-os-17-participantes-do-big-brother-brasil-2011

  3. legal o blog

  4. calordemacho.blogspot.com

  5. youtube.com/groselhamano

    Big Mano Brasil


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: